•  
     

Arara

Família Psittacidae
Aqui estão os papagaios, periquitos, araras, maitacas e cacatuas em uma só família - Psittacidae - com 315 espécies, distribuídas no hemisfério sul e nas regiões tropicais e subtropicais do hemisfério norte. A maioria das espécies é arbórea. Quase todas as espécies de psitacídeos se adaptam com facilidade ao cativeiro.

Características das araras
As araras são capazes de articular sons imitando palavras humanas ou vozes de outros animais. São aves de fôlego curto, não cruzam longas distâncias, não voam muito. Mas são aptos a mover-se entre os ramos das árvores, graças ao formato do bico e de suas patas. O bico é robusto, em forma de gancho, e dos quatro dedos, dois dirigem-se para frente e dois para trás (pé zigodáctilo). A arara manipula o alimento com o pé.

Vivem aos bandos, nas florestas da América do Sul, onde é seu ambiente natural. Ao partir em busca de frutas, sementes ou brotos que constituem sua alimentação, emitem gritos estridentes, com grande alarido. Quando muito famintas, chegam a devastar plantações inteiras.

Muito decorativas, suas penas são até hoje empregadas pelos índios como adornos de cocares. Vistosas penas, o tamanho avantajado, o bico muito rijo e a face lisa, são características das araras.

As araras podem viver em uma média de 60 anos de vida.

Doença - Psitacose
Uma doença perigosa ataca essas aves: a psitacose, causada por um vírus filtrável. A ave acometida pela psitacose torna-se quieta, arredia e sua plumagem toda se emaranha. Mas o maior risco está na possibilidade de transmitir o vírus a outras aves. O vírus pode contaminar também o homem que entra em contato com as aves doentes.

Ararajuba
Ostentando uma plumagem amarelo-ouro e extremidades verdes em seus quase 35 cm, a Ararajuba é uma das mais belas aves da família dos psitacídeos, e é considerada a ave nacional do Brasil, segundo proposta do ornitólogo Helmut Sick. É encontrada somente no Brasil, nas florestas chuvosas da região tropical, no norte do Brasil e nos estados do Maranhão ao leste do Pará e aos baixos do Xingu e Tapajós.

Seu alimento predileto são os cocos da palmeira juçara e corre perigo de extinção.

Espécie: Guaruba guaruba.
Arara Vermelha
Ave cujas coberteiras médias superiores das asas são amarelas. Distribui-se do México até o Brasil. (sinônimos: Aracanga, Araracanga, Ararapiranga, Arara-Macau).

Espécie: Ara macao.

Arara Vermelha Grande
Ave caracterizada pelas coberteiras superiores médias das asa de intenso verde.

Distribui-se desde o sul da América Central ao Paraguai, e ao norte da Argentina.

Arara Vermelha Grande


Araraúna (ou Araruna)
Essa ave pode ser encontrada nos campos cerrados do Brasil; as penas são de um azul bem escuro. É a maior das araras. (sinônimos: Arara-Preta, Arara-Azul).

Espécie: Anodorhynchus hyachinthinus.



Ninhos
As longas penas das caudas das Araras chegam a medir mais de um metro e servem ainda para assinalar seu ninho. Com efeitos, seus ninhos são feitos de preferência em ocos no alto do tronco de palmeiras. Mas como a ave só escava o suficiente para abrigar seu corpo, a longa cauda fica pendente, denunciando-a.

Ameaçada de extinção
O maior psitacídeo do mundo, a arara-azul-grande, com mais de 90 cm de comprimento está ameaçada de extinção, assim como a arara-azul-de-lear e a ararajuba também. A caça e a destruição do hábitat levaram várias espécies à ameaça de extinção. Uma delas, a arara-azul-pequena, está provavelmente desaparecida para sempre e da ararinha-azul resta um único exemplar nascido na natureza (na região chamada Raso da Catarina, estado da Bahia).

Classificação científica
Classe: Aves

Ordem: Psitaciformes

Família: Psitacídeos

Subfamília: Conuríneos

Obs: As Araras pertencem a dois gêneros: Ara e Anodorhynchus.

Anadorhynchus huacinthinus (preta)
Ara macao (vermelha)
Ara chloroptera (verde)
Guaruba guaruba (ararajuba)