•  
     

aranhas

Voce sabia, que a cada ano cerca de 40 mil pessoas são picadas por animais venenosos no Brasil ?
São cerca de 20 mil acidentes com cobras, 10 mil com escorpiões , 8 mil com aranhas e cerca de 2 mil com os demais animais peçonhentos.
A preocupação tem se voltado para a morbidade, além da taxa de mortalidade causada pelas cobras.

aranha.jpg
aranha.jpg (4.2 KiB) Visto 527 vezes


A maioria das vítimas é socorrida após seis horas e as seqüelas vão da amputação de membros por causa da necrose até o comprometimento dos rins, obrigando o uso da hemodiálise.
As seqüelas estão diretamente ligadas ao tempo levado até o início do tratamento.


A diferença entre animais peçonhentos e venenosos !

Animais peçonhentos
são aqueles que possuem glândulas de veneno que se comunicam com dentes ocos, ou ferrões, ou aguilhões, por onde o veneno passa ativamente, como serpentes, aranhas, escorpiões, abelhas e arraias.

Animais venenosos
são aqueles que produzem veneno, mas não possuem um aparelho inoculador (dentes, ferrões) provocando envenenamento passivo por contato (taturana), por compressão (sapo) ou por ingestão (peixe baiacu).





Medidas preventivas para o controle de aranhas
E para que os acidentes com aranhas ou outros animais peçonhentos não ocorram devemos adotar as seguintes medidas:

a) manter jardins e quintais limpos. Evitar o acúmulo de entulhos, folhas secas, lixo doméstico, material de construção nas proximidades das casas;

b) evitar folhagens densas (plantas ornamentais, trepadeiras, arbusto, bananeiras e outras) junto a paredes e muros das casas. Manter a grama aparada; limpar periodicamente os terrenos baldios vizinhos, pelo menos, numa faixa de um a dois metros junto das casas;

c) sacudir roupas e sapatos antes de usá-los pois as aranhas podem se esconder neles e picar ao serem comprimidos contra o corpo; combater a proliferação de insetos, para evitar o aparecimento das aranhas que deles se alimentam; verificar a presença de aranhas em hortifrutigranjeiros

d) vedar frestas e buracos em paredes, assoalhos e vãos entre o forro e paredes para impedir o trânsito de aranhas pela residência.

e) Em local muito arborizado, fechar portas e janelas da residência ao entardecer.

f) Manter fechados armários e gavetas que se constituem em excelente local de abrigo.

g) Observar a presença de aranhas em objetos e móveis que tenham sido guardados por períodos prolongados em ambientes escuros.




As aranhas mais encontradas
O veneno está presente na grande maioria das aranhas (em todo o mundo são conhecidos somente dois grupos de aranhas sem veneno) e sua composição química é bastante variada entre as espécies. A grande maioria tem veneno pouco tóxico para o organismo humano, como as Caranguejeiras, porém outras, que vivem próximas ao homem têm, em seu veneno, toxinas extremamente potentes para o organismo humano, e quando se sentem ameaçadas picam para se defender.

Os envenenamentos humanos por aranhas recebem a denominação de araneísmo. No Brasil, casos de araneísmo grave são observados nos acidentes causados pelas aranhas abaixo:



Aranhas Armadeiras (Gênero Phoneutria )
("armadeira", "aranha-da-banana", "aranha-macaca"): a maioria dos acidentes é registrada na região Sudeste, principalmente nos meses de abril e maio. É bastante comum o acidente ocorrer no momento em que o indivíduo vai calçar o sapato ou a bota.



Aranhas Viúvas-Negras (Latrodectus)
encontradas predominantemente no litoral nordestino, causam acidentes leves e moderados com dor local acompanhada de contrações musculares, agitação e sudorese.



Aranhas Marrons (Loxosceles)
é importante causa de acidentes na região Sul. A aranha provoca acidentes quando comprimida; deste modo, é comum o acidente ocorrer enquanto o individuo está dormindo ou se vestindo, sendo o tronco, abdome, coxa e braço os locais de picada mais comuns.

As aranhas caranguejeiras e as tarântulas, apesar de muito comuns, não causam envenenamento. As que fazem teia áreas geométricas, muitas encontradas dentro das casas, também não oferecem perigo.




Fonte: http://www.fazfacil.com.br/saude/aranhas.html