•  
     

Após ‘Tropa’, Wagner Moura fala de amor

Após ‘Tropa’, Wagner Moura fala de amor

Ator está em 'Romance', novo longa de Guel Arraes, em cartaz na Mostra.
No filme, ele e Letícia Sabatella se apaixonam ao encenar 'Tristão e Isolda'.



Clique aqui para ver o video

Esqueça armas, violência e seqüências de ação. Em seu primeiro filme depois de “Tropa de elite”, Wagner Moura vive uma história de amor. “Romance”, filme de Guel Arraes em cartaz na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, mostra o relacionamento entre Pedro (Moura) e Ana (Letícia Sabatella), atores que dividem o palco na encenação de “Tristão e Isolda” ao mesmo tempo em que se envolvem romanticamente.

“As pessoas são inteligentes. Sabem que um ator é um ator, e um personagem é um personagem. O cara entra para ver o filme e eu, modestamente, espero que em um segundo ele não se lembre mais de Capitão Nascimento nem de nada. O Pedro é um personagem forte, mas que não tem essa violência, esse clamor social. Ele está em outro lugar, um lugar mais da poesia e do romance”, afirma Moura.

O ator diz que se identificou com o personagem por ser, como ele próprio, um ator muito ligado ao teatro. “O Pedro refletia muito as cosias que eu pensava. Talvez ele fosse um pouco mais radical porque tinha um certo pé atrás com a TV, coisa que eu não tenho de jeito nenhum.”



O citado “pé atrás com a TV” foi considerado por muitos como uma crítica à televisão, o que Moura nega. “Acho a questão da linguagem do cinema, da TV e do teatro que está presente no filme é importantíssima. Mas não acho que o filme homenageie especificamente o teatro nem represente uma crítica à TV. Tanto que a minissérie que o meu personagem dirige fica linda no final, como são as coisas que Guel costuma fazer. Eu sou um pouco Guel no filme”, afirma, rindo.


Clique aqui para ver o video

“Mas tudo isso é o pano de fundo para falar de amor”, completa. Em “Romance”, há muitos paralelos entre o amor romântico vivido pelos personagens da lenda de Tristão e Isolda e a realidade dos atores que os interpretam no teatro. “O amor romântico é o amor idealizado. O amor real, se é que se pode falar nisso, é um pouco o amor romântico se repetindo várias vezes. Na nossa vida, temos a possibilidade de viver vários amores românticos. O bom é que a gente encontre um amor e acredite que ele pode ser romântico para o resto da vida.”

O filme de Guel Arraes vem sendo muito comentado pelo fato de Pedro Cardoso, que também está no elenco, ter feito um manifesto criticando as cenas de nu no cinema brasileiro. “Eu estou achando que o manifesto de Pedro vai acabar chamando gente para ver o filme [risos]”. Moura afirma que não teve dificuldade para filmar a cena de sexo entre ele e Letícia Sabatella e que a considera importante para o longa.

“A cena é lindíssima e mostra a relação dos personagens que, além de amor e entendimento artístico, têm uma relação de tesão. Ao mesmo tempo, ela é entrecortada com as cenas dos personagens de Tristão e Isolda. Tem poesia a cena. Talvez o Pedro tenha sido mal compreendido, embora haja arestas no texto dele que serviram de munição para que ele fosse bastante atacado. Até eu próprio posso discordar de algumas coisas que ele diz, mas a base do texto foi muito salutar.”



Vida e literatura


Ao falar de amor, mitos e histórias românticas, Moura não esquece de citar Shakespeare. “É engraçado, porque além de Tristão e Isolda, eu acho que Shakespeare é muito responsável por esse ideal de amor que a gente tem. É incrível como a nossa vida hoje é, de certa forma, norteada pela literatura.”

O ator lembra da história de Romeu e Julieta e fala também de sua experiência interpretando Hamlet no teatro. “Está sendo a maior experiência artística e como intérprete que eu já tive. Eu fico pensando o que eu vou fazer depois disso. Porque é uma carga muito violenta de emoção, de envolvimento com o processo teatral e com tudo que o teatro pode te dar.”

A peça está em cartaz no teatro Faap até dezembro, mas a intenção do ator é retomar as apresentação em 2009. “Eu quero fazer por mais tempo, até para que eu descubra mais esse personagem, que é infinito. É um sonho antigo, e que eu achava impossível. Estou feliz da vida.”



"Romance"

Quinta-feira (23), às 21h30, no Cinemark - Shopping Cidade Jardim
Sexta-feira (24), às 14h, no Espaço Unibanco Pompéia 1
Sábado (25), às 18h, no IG Cine
Terça-feira (28), às 20h, no Cine Bombril Sala 1



Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Cinema/0,, ... +AMOR.html