•  
     

Após contaminação, Anvisa suspende produtos com soja da marca Ades

Imagem

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a suspensão da fabricação, distribuição, comercialização e consumo, em todo o território nacional, de todos os lotes de vários produtos da marca Ades por "suspeita de não atenderem às exigências legais e regulamentares" do órgão.

A medida foi publicada nesta segunda-feira (18) no Diário Oficial da União (DOU). A Anvisa não informou por quanto tempo vale a suspensão. Procurada pela reportagem, a Unilever, dona da marca, não se pronunciou sobre o caso até a publicação desta reportagem.

Na semana passada, antes dessa suspensão geral feita pela Anvisa, a Unilever havia anunciado problemas num lote específico do suco de maçã de 1,5 litro. Agora, a medida da Anvisa atinge todos os produtos, mas não ficou claro se quem já tem os outros itens em casa pode ou não consumi-los.

A suspensão abrange todos os lotes dos seguintes produtos:

sabor abacaxi (embalagem de 1 litro);
cereais com mel (1 litro);
chá verde com tangerina (1 litro);
chá verde com limão (1 litro);
chocolate clássico (1 litro);
chocolate com _____ (1 litro);
frapê de _____ (1 litro);
laranja (1 litro), (1 litro promocional, leve 1 litro pague 900 ml), (1,5 litro);
maçã (1 litro), (1 litro promocional, leve 1 litro pague 900 ml), (1,5 litro);
manga (1 litro);
maracujá (1 litro);
melão (1 litro);
morango (1 litro);
original (1 litro), (1,5 litro);
pêssego (1 litro);
shake morango (1 litro);
uva (1 litro), (1 litro promocional, leve 1 litro pague 900 ml), (1,5 litro);
vitamina banana (1 litro);
zero frapê de _____ (1 litro);
zero laranja (1 litro);
zero maçã (1 litro);
zero original (1 litro);
zero pêssego (1 litro);
zero vitamina banana (1 litro);
zero uva (1 litro).
Na semana passada, recall de Ades de maçã de 1,5 litro
Na semana passada, antes dessa suspensão geral da Anvisa, a Unilever já tinha anunciado um recall de um lote do suco de maçã Ades por contaminação com produtos de limpeza. A empresa alertou que a ingestão da substância poderia provocar queimaduras.

De acordo com a empresa, cerca de 96 unidades do produto estavam impróprias para o consumo humano (lote com as iniciais AGB 25, fabricado em 25/02/2013, com validade até 22/12/2013). As embalagens com o produto contaminado foram distribuídas nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

A empresa solicitou que os consumidores verificassem o produto já adquirido e, caso se tratasse do lote mencionado, não o consumissem e entrassem em contato gratuitamente pelo SAC (0800 707 0044), das 8h às 20h, ou pelo e-mai ( [email protected] )

O telefone do SAC está instável. O UOL tentou entrar em contato e não conseguiu. Em algumas tentativas, ficou mudo, em outras a ligação não foi atendida. Um leitor relatou que ouviu uma mensagem de que o número "foi desativado".

Fontee :
http://economia.uol.com.br/