•  
     

ANTT recomenda reaplicação de provas para técnico

ANTT recomenda reaplicação de provas para técnico

Recomendação vale para técnico em regulação de serviços de transportes terrestres.
Decisão ocorre um dia depois de organizadora divulgar resultado final.


Um dia depois de divulgar oresultado final para os cargos de nível médio no concurso da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o Núcleo de Computação Eletrônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NCE/UFRJ) terá de aplicar novas provas para o cargo de técnico em regulação de serviços de transportes terrestres em todo o território nacional.



A deliberação da ANTT foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (4).



De acordo com a agência, a recomendação ocorre devido a denúncias de fraudes. O concurso oferece 354 vagas em cargos de nível médio e superior. Os salários vão de R$ 1.982,17 a R$ 5.535,60.



A ANTT autorizou ainda a continuidade do concurso para os cargos de especialista em regulação de serviços de transportes terrestres e de analista administrativo.

Em relação ao cargo de técnico administrativo, o concurso será homologado oportunamente.



O NCE/UFRJ ainda não se pronunciou sobre a recomendação.



Cola eletrônica
Após as denúncias de fraudes, o NCE/UFRJ decidiu eliminar candidatos que tiveram gabaritos iguais na prova objetiva. Coincidentemente, todos fizeram a prova no Rio de Janeiro.

Segundo o NCE, estudos estatísticos detectaram que nos gabaritos desses candidatos tanto o número de erros quando de acertos estavam iguais. Todos concorriam às 228 vagas de técnico em regulação de serviços de transportes terrestres, que exige nível médio e oferece salário de R$ 2.725,93.

A assessoria do NCE informou que foi constatado processo ilícito de transmissão do gabarito da prova objetiva, a chamada "cola eletrônica". Segundo a instituição, a Polícia Federal está investigando a existência de uma quadrilha que está atuando em concursos públicos.

Com a eliminação, outros candidatos tiveram a prova de redação corrigida e concorreram às vagas para técnico em regulação de serviços de transportes terrestres.

O NCE/UFRJ afirma que não houve vazamento da prova e que o concurso segue normalmente.




MPF e PF
A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) divulgou nota no dia 19 de junho informando que as denúncias de irregularidades encaminhadas à sua ouvidoria foram repassadas ao Ministério Público Federal e que foi instaurado inquérito na Polícia Federal, no Rio de Janeiro, que está realizando as investigações.



Defesa
O Núcleo de Computação Eletrônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NCE/UFRJ) divulgou nota oficial em seu site após receber várias denúncias de fraude feitas por candidatos. As provas foram aplicadas no dia 1º - se inscreveram para o concurso 27.172 candidatos.


Entre as denúncias dos candidatos estão que alguns classificados têm o mesmo sobrenome e tiveram notas similares, e o estado do Rio de Janeiro teve o maior número de aprovados e também a maior nota de corte entre os demais estados.

No dia 13 de junho, a ANTT divulgou no seu site uma nota pedindo imediata manifestação do NCE/UFRJ: “Diante das informações recebidas nesta Agência sobre possíveis fraudes na realização do 2º Concurso Público, objeto do Edital nº 001/2008-ANTT, conduzido pelo Núcleo de Computação Eletrônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro – NCE/UFRJ, esta Agência solicitou a imediata manifestação daquela Entidade”.

Segundo a nota do NCE/UFRJ, “o concurso público transcorreu sem incidentes, não tendo sido relatado, nos locais de aplicação da prova escrita, qualquer fato que desabonasse a lisura do certame”.

A organizadora disponibilizou no seu site as listagens com os nomes, notas, número de inscrição e situação de todos os candidatos.



Polícia Rodoviária
No ano passado, o NCE foi envolvido em outra suspeita de fraude de concurso. Em dezembro, as provas do concurso para 340 vagas na Polícia Rodoviária Federal foram canceladas após vazamento do conteúdo. Dois dias antes da aplicação do exame, um suspeito foi flagrado tentando vender o gabarito por R$ 40 mil.



A organizadora depositou na conta da PRF o valor correspondente a quase 112 mil inscrições de candidatos, e a Polícia Rodoviária está escolhendo quem será a instituição que organizará o concurso, que deve ter o edital mantido e não deve abrir novas inscrições.



Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Concursos_ ... 54,00.html