•  
     

Americano descobre nova espécie de 'rato-elefante' na África

Animal vive nas montanhas da Tanzânia e é o maior de seu tipo, com quase 1 kg.Parente relativamente próximo dos elefantes, criatura se alimenta de insetos.
Dificilmente um mamífero fica mais esquisito do que isso: corpo de roedor, tromba de elefante. A definição se aplica aos sengis, ou musaranhos-elefantes, estranhos habitantes da África que acabam de ganhar uma nova espécie em seu grupo. O bichinho, batizado de Rhynchocyon udzungwensis, foi apresentado ao mundo nesta quinta (31) por cientistas americanos e italianos.

A descrição da criatura, coordenada por Galen Rathbun, da Academia de Ciências da Califórnia, e Francesco Rovero, do Museu de Ciências Naturais de Trento (Itália), está na revista especializada "Journal of Zoology". Digamos que, entre nanicos, o bicho é um gigante: os adultos chegam a ter 750 gramas, enquanto a maior das 15 espécies conhecidas de sengis não passa dos 500 gramas.

"Ainda não sabemos por que ele é tão grande perto de seus parentes. Infelizmente, quando uma espécie é nova, sempre há mais perguntas do que respostas", afirmou Rathbun ao G1, por e-mail.

O animal foi encontrado nas florestas úmidas das montanhas de Udzungwa, na Tanzânia (África Oriental). É uma das regiões africanas mais ricas em espécies endêmicas -- ou seja, que só ocorrem ali e em nenhum outro lugar do mundo. Tudo indica que as florestas ficaram isoladas em fragmentos no alto das montanhas ao longo de milhões de anos, o que favoreceu o surgimento dessas espécies únicas.

Capturar e descrever o bichinho, cujo nome popular deverá ser sengi-de-cara-cinzenta, não foi moleza. Os pesquisadores tentaram usar redes e armadilhas especiais para pegar exemplares da espécie, mas os bichos eram tão grandes em comparação com seus primos que acabavam escapando. Depois de algumas adaptações nas técnicas de captura, Rathbun e Rovero tiveram êxito.
Primo dos trombudos

O mais maluco é que, brincadeiras à parte, os sengis são realmente primos mais ou menos próximos dos elefantes. Análises recentes de DNA comprovam que tanto os paquidermes quanto os bichinhos pertencem ao grupo dos afrotérios, um conjunto de mamíferos que surgiu na África há dezenas de milhões de anos.

Além de elefantes e sengis, os afrotérios também incluem entre seus membros os peixes-bois e os hiraxes (mamíferos africanos que lembram vagamente esquilos ou marmotas), entre outros animais. Ao longo de milhões de anos, ao se adaptar a diferentes tipos de vida, cada bicho foi assumindo formas muito específicas, mas a genética ainda denunciaria o parentesco entre eles.

E a "tromba" do musaranho-elefante? Rathbun diz que, pelo visto, ele a "inventou" independentemente do seu primo grandalhão. "Os cientistas já especularam sobre o fato de que vários dos afrotérios têm narizes bem desenvolvidos -- até os peixes-bois mostram isso em certo grau --, mas parece que cada um desses narizes surgiu devido a pressões seletivas diferentes", afirma ele.

Os sengis se alimentam principalmente de pequenos invertebrados, sendo ajudados pela "trombinha" nessa tarefa. "O focinho é usado principalmente como um instrumento de sondagem nas folhas caídas no chão da floresta, associado a um agudo sentido do olfato", explica o especialista.


rato_elefante.jpg
rato_elefante.jpg (68 KiB) Visto 1374 vezes




Fonte: http://www.mundo-a-n-i-m-a-l.blogspot.c ... chive.html
 
Que bicho esquisito!!! :o