•  
     

A um passo de trair

Ele é lindo, sedutor, inteligente. Toda vez que seus olhares se cruzam, o coração só falta pular pela boca. Sua vontade secreta é se entregar ao desejo. Detalhe: você é comprometida. E agora?

amor-traicao.jpg
amor-traicao.jpg (10.62 KiB) Visto 618 vezes



Apesar de ser apaixonada pelo noivo, Kátia, de 21 anos, não conseguia tirar os olhos azuis de Marcelo da cabeça. "Não fui capaz de trair meu futuro marido, mas fantasiei loucas aventuras ao lado do Celo", confessa. Quantas de nós não imaginaram como seria dividir a cama com o bonitão do escritório, mesmo tendo um cobertor de orelha em casa? Se você também já pegou carona no bonde do desejo e pensou em descer na estação da infidelidade, saiba que pisar fora da linha pode ser tão emocionante quanto perigoso.

Anatomia do desejo proibido
Você namora há algum tempo, gosta de passar as tardes de domingo com ele no sofá... Mas seu coração dispara mesmo é quando encontra o moreno sedutor do curso de especialização. Pior (ou melhor): o moço parece retribuir os olhares. E agora? Para começar, nada de se martirizar por desejar outro homem. De acordo com o dr. Paulo Gaudencio, psiquiatra e colunista de NOVA, é natural, já que a novidade funciona como combustível do erotismo. Tem mais: só nos vemos às voltas com esse tipo de dilema, antes exclusivamente masculino, porque conquistamos igual direito à liberdade _____. "Estamos mais exigentes afetiva e sexualmente", aponta a psicoterapeuta de casais Sandra Samaritano, do Instituto Paulo Gaudencio. E essa busca por satisfação leva muitas de nós a começar a achar a grama do vizinho mais apetitosa, vigorosa...

Ocasiões que fazem a pecadora
Como nasce essa vontade? O principal gatilho é a insatisfação entre os lençóis. Foi o que descobriu a pesquisa feita pelo ginecologista Amaury Mendes Jr., com 245 cariocas. Outras razões apontadas pelas entrevistadas: carência, vontade de ser admirada ou desejo puro e simples. A psicóloga da PUC-SP Rosa Maria Macedo acredita que as mulheres também pensam em pisar fora da linha para castigar o parceiro. "É uma forma de autodefesa e de se sentirem amadas." Brenda, de 21 anos, que sonha em enfeitar a cabeça do amado sempre que ele fala com a ex, concorda: "Uma vez, de tão insegura, chamei um antigo affair para ir à praia. Na hora do beijo, fugi, pois colocaria tudo a perder só para satisfazer meu ego". Outra situação que balança muitas garotas é dar de cara com ex-namorado. "Encontrei o Caco em uma festa e agora sonho com ele todas as noites", conta Ana, de 23 anos, comprometida. "Pior: ele me telefona; não sei até quando vou conseguir dizer não." Para o sexólogo Joaquim Motta, autor de Amores Humanos, Traições Divinas (All Books), ficar com um antigo amor é uma tentativa de preencher um vazio do passado. Ou seja, você procura viver algo que faltou na relação.Já a psicanalista e sexóloga Regina Navarro Lins, autora do novíssimo Fidelidade Obrigatória e Outras Deslealdades (Best Seller), defende um ponto de vista polêmico: que tudo não passa de instinto. "É natural termos prazer em variar. E o que você faz longe do parceiro é problema seu, não dele." A questão é que, por enquanto, poucas conseguem pensar em dar o passo sem olhar para trás.


Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/amor-sexo ... tml?page=0
 
Prazer ou dor de cabeça?

O peso da consequência pode ser bem maior do que o benefício da aventura


Não por acaso um dos receios que começam a rondar é: "Será que devo?", "Vou colocar meu namoro a perder?" Em uma pesquisa feita por NOVA com 3 400 leitoras, 38% disseram ter se arrependido da infidelidade e metade delas assumiu sentir culpa. A explicação, para o sexólogo Joaquim Motta, é que a mulher gosta de criar vínculos. A psicóloga Rosa Macedo concorda: "Para nós, é difícil separar sexo de amor". Quem garante que você não vai se apaixonar pelo reserva? Como lidar com a dor-de-cotovelo se não for correspondida? E, se for, o que fará com o titular? Algumas garotas passam a precisar de ambos para garantir a felicidade. "Gostava do namorado, mas o ficante era mais divertido", fala Denise, de 25 anos, que se envolveu com dois rapazes por cinco meses. Segundo os especialistas, nesses casos de triângulo amoroso, o terceiro elemento vira essencial para a relação oficial. Você suporta a falta de humor de um porque o outro é engraçado. A situação é confortável aparentemente, pois basta tirar um deles do tripé que desmorona tudo. Como se não bastasse, mais um medo: ser tachada de infiel. Para Sandra, essa preocupação é sociocultural, uma vez que o machismo ainda atinge muitos homens - e mulheres!Ainda assim, há quem corra o risco para testar os sentimentos. A traição pode ser a gota d'água para o fim de um namoro sem futuro - ou a certeza de que você está no caminho certo. Tina, de 22 anos, percebeu quanto gostava do namorado ao beijar um colega de trabalho. "Depois que ficamos, ele me tratou com desdém. De repente, caiu a ficha: eu já tinha o amor da minha vida."

Nada de pedir conselhoPara ajudá-la a decidir se vai em frente ou não, os especialistas sugerem reflexões:
• Como vai seu romance atual?
• Caiu na rotina?
• O que pretende fazer em relação a isso?É preciso repensar, saber se tem vontade de continuar com a relação. Caso a resposta seja sim, melhor marcar uma conversa com seu homem para tentarem, juntos, revigorar o amor. Caso contrário, será que não é melhor terminar, deixando os dois livres para seguirem o próprio caminho? "Ainda mais se o seu namorado não aceitar seus comentários ou não tentar mudar as atitudes", diz o sexólogo Joaquim Motta. Vale ouvir sugestões, estudar o assunto... Só não pode pedir conselhos, segundo o dr. Gaudencio. Por quê? "Num momento decisivo como esse, quem é que vai correr os riscos e arcar com as conseqüências? Só você deve definir o rumo da sua vida."