•  
     

A GUERRA DOS NAVEGADORES DE INTERNET

A Internet e todo o seu conteúdo só alcançaram o sucesso que acompanhamos devido à possibilidades trazidas, em muitos casos, pelos navegadores. A partir de sua criação, tornou-se possível acessar o conteúdo dos grandes portais de antigamente, em que os usuários participavam apenas lendo as informações contidas nos sites.

A GUERRA DOS NAVEGADORES DE INTERNET.jpg
A GUERRA DOS NAVEGADORES DE INTERNET.jpg (15.07 KiB) Visto 954 vezes


Anos depois, chegaríamos à situação atual do conteúdo espalhado pela rede. Em um termo que ficaria conhecido como Web 2.0, ou segunda geração da Internet, seríamos nós, os usuários, os grandes responsáveis por boa parte do conteúdo criado, em sites novos, feitos para a personalização, como o Orkut, os blogs e ferramentas semelhantes.

Provavelmente você nunca parou para pensar nesses aspectos como algo proporcionado por aplicativos que, a uma primeira impressão, podem parecer simples, mas levaram muito tempo em desenvolvimento e pesquisa para chegarem ao estado atual.

Neste breve guia, analisaremos alguns dos Browsers mais conhecidos pelos internautas, além daqueles que vêm para entrar na briga pela preferência do usuário. Todos eles têm suas vantagens e desvantagens, cabendo a cada um decidir pelo que julga mais importante.

UM POUCO SOBRE CADA NAVEGADOR

Internet Explorer

Um dos pioneiros no gênero e primeiro grande difusor dele foi o Internet Explorer. Lançado em sua primeira versão em agosto de 1995, o aplicativo viria a se tornar um verdadeiro sucesso entre os usuários até os dias de hoje, mantendo-se como líder em utilização, fator que se deve, em grande parte, ao fato do aplicativo sempre vir incluso nas versões do Microsoft Windows.

A última versão dele, que acaba de chegar a sua oitava geração, traz reformulações e adições de recursos em diversos aspectos. O programa promete zelar por segurança, velocidade e funcionalidade, permitindo, em caso de problemas, emular a versão anterior do IE através dele.

Parece que, a cada nova geração de navegadores, a Microsoft aprende um pouco mais com a Mozilla, aderindo às inovações divulgadas por esta dentro do gênero, da mesma forma que aconteceu com o acréscimo de abas para navegar em diversos sites.

Como vantagem para o aplicativo, destacamos a boa gama de opções inseridas em seu menu de contexto, o que permite que o usuário aplique ações de forma mais rápida e intuitiva que nos seus concorrentes. A interação com outros softwares parece ser um dos destaques do novo IE, que permite baixar arquivos diretamente em gerenciadores, tudo de forma simples e intuitiva, além de abusar das possibilidades da Windows Live enquanto navega.

O aplicativo é um dos mais pesados para rodar, em geral 30% a mais que as médias conferidas no Firefox e Opera. No entanto, ele abre as páginas da web com velocidade superior a todos os outros navegadores testados, exibindo os sites de forma rápida e uniforme.

Firefox

Lançado em 2003, o Mozilla Firefox já é o segundo navegador mais utilizado no mundo, perdendo apenas para o Internet Explorer. O aplicativo sempre trouxe mudanças e inovações que facilitam a experiência do usuário com ele, o que justifica seu sucesso no mundo todo.

A última versão do aplicativo é destaque por diversos aspectos, em especial no que diz respeito à sua leveza se comparado aos outros navegadores. O Firefox ocupa cerca de 30% menos memória em relação ao Internet Explorer, seu principal concorrente.

A segunda versão do aplicativo disseminou o conceito da navegação através de abas, permitindo ao usuário acessar diversos sites em uma única janela do programa, característica que só foi adicionada ao IE em sua sétima versão.

Ele permite salvar as páginas utilizadas ao fechar o navegador, caso queira reiniciar o PC ou reabri-las posteriormente, sem precisar acessar todos os sites novamente. As funções para as abas estão aprimoradas e apresentam funcionalidade em todos os aspectos.

A maior novidade trazida pelo aplicativo em sua terceira geração é, sem dúvida, o mecanismo de pesquisa encontrado na barra de endereços. Ele salva, além dos links dos sites, o nome específico de cada página visitada.

Isso significa que se você lembra o nome da página em que estava navegando, mas esqueceu o link dela, basta digitar partes do seu nome na barra de endereços. Em questão de segundos, o Firefox exibe todos os links que contenham aquelas palavras, o que é de extrema utilidade.

Como de praxe, destacam-se ainda no Firefox a imensa gama de complementos e temas existentes para ele. É possível personalizar inteiramente o aplicativo, com os mais variados tipos de utilidades, o que o torna um verdadeiro destaque nesse sentido.

Opera

Embora o Opera não seja um dos navegadores mais populares da atualidade, suas características não ficam atrás dos aplicativos mais famosos do gênero. A última versão do aplicativo apresenta as principais funções encontradas nos outros, com ótimos adicionais.

O aplicativo zela em praticamente todos os sentidos, apresentando visual arrojado, funcionalidade e segurança, sem pesar muito para o computador. Com ele, é possível adicionar prévias dos seus sites favoritos na sua página adicional, agilizando a navegação.

Ele contém um gerenciador de downloads e a exclusiva função para o download de torrents através do browser, o que e uma característica a ser destacada. Além disso, tem suporte a temas e complementos, embora sejam em menor quantidade.

Chrome

Acaba de sair o aguardado navegador do Google, que traz uma interface que preza por simplicidade e beleza na medida certa. O novo browser da empresa traz os melhores recursos disponíveis para o gênero, além de facilidades para os serviços da empresa, como o Gmail e o Youtube.

Além disso, ele permite pesquisar diretamente nos sites Wikipedia, Youtube e diversos outros, facilitando a vida do usuário. Seu gerenciador de downloads é muito completo e funcional, exibindo detalhes sobre cada arquivo baixado.

Outro diferencial do aplicativo é o fato dele utilizar três processos para rodar, o que impede que o programa todo seja fechado ao encontrar erros em uma determinada aba. Para resolver o problema, ele mantém o processo central, sem comprometer os outros.

Apesar de todas as novidades trazidas pelo Chrome, o destaque maior ainda fica para sua interface. O aplicativo retirou a barra que fica no topo da janela principal da maioria dos aplicativos, além das funções principais divididas em tópicos, como “Arquivo”, “Editar” e outras. Se você procura um programa de visual simples e descomplicado, o Google Chrome pode ser uma boa pedida.

COMPARAÇÕES

Todas as comparações foram realizadas em um AMD Athlon 64 X2 Dual Core com dois núcleos de 2,3 GHZ, 2GB de memória e HD de 160GB, rodando em um Windows Vista Home Premium de 32 bits. Os testes foram realizados em uma simulação de uso comum do computador.

Isso significa que mantivemos softwares como antivírus e programas que inicializam juntamente com o Windows ativados, abrindo os navegadores individualmente para cada teste, o que permitiu observar os resultados exibidos logo abaixo.

Peso

Um dos primeiros aspectos a ser observado pelo usuário ao escolher o navegador mais adequado para suas necessidades é o peso em processamento e memória requerido por ele. Testamos os 4 navegadores para uma, cinco e vinte abas, obtendo a mesmas ordem em todos eles.

O mais leve entre os quatro é, sem dúvida, o Firefox, apresentando médias de 30% menos memória utilizada se comparado ao Internet Explorer. Em segundo lugar, apresentamos o Opera, com boa velocidade de resposta em comandos e gasto de memória semelhante ao Firefox.

O Google Chrome apresenta três processos distintos enquanto é executado. Somando todos eles, percebemos uma média semelhante aos demais navegadores para grandes quantidades de abas abertas. No caso de uma única aba ou poucas delas, o Chrome ficou um pouco mais pesado.

Velocidade na navegação

Outro ponto fundamental para muitos usuários é a velocidade apresentada ao exibir sites e imagens pelo navegador. Neste aspecto, o Internet Explorer foi considerado o mais rápido, com exibições praticamente instantâneas em diversas páginas testadas, mesmo naquelas que nunca foram abertas pelo navegador.

De modo parecido como aconteceu no teste de consumo de memória, o Firefox e o Opera obtiveram resultados muito semelhantes em questão de velocidade na navegação. O Google Chrome apresentou os piores resultados. Vale salientar que as diferenças encontradas foram mínimas, chegando, em muitos casos, a décimos de segundo.

Interface

Um dos grandes desafios das desenvolvedoras em criar um bom navegador é elaborar uma interface agradável, que consiga aliar belos menus, botões e estilos à funcionalidade e facilidade de acesso e percepção de suas funções pelo usuário, sem que tudo isso pese demasiadamente no computador.

Todos os aplicativos apresentam facilidade no acesso de suas principais funções, exibindo, com poucas grandes diferenças, as mesmas possibilidades e botões essenciais para a navegação. O grande destaque para esse quesito é para o Google Chrome, que retirou elementos desnecessários existentes nos outros navegadores, aplicando um visual limpo e agradável.

Testando com o Acid

Os desenvolvedores do teste Acid para navegadores buscaram padronizar os elementos mais utilizados em sites, criando um teste que mostra a real compatibilidade dos browsers em diversos aspectos referentes à navegação. O índice vai de zero a cem, em que um valor máximo indicaria um navegador totalmente compatível com os padrões atuais da Web.

Os navegadores Firefox, Opera e Chrome obtiveram resultados muito semelhantes no teste, alcançando as notas 71, 84 e 78, respectivamente. Ao testarmos a versão Beta 2 para o navegador da Microsoft, obtivemos míseros 21 pontos de resultado, apresentando quase total incompatibilidade com o teste.

Mas quem vencerá a disputa?

Após tantas características apontadas, entre qualidades e defeitos, percebemos que os 4 maiores navegadores da atualidade são muito semelhantes em eficiência, rendimento e peso para o computador, o que deixa a escolha nas mãos do usuário.

Em termos de velocidade e inovações, o Firefox inova com as novas pesquisas na barra de endereços, enquanto o Chrome exibe um visual limpo e muito atrativo. O IE é levemente mais rápido para abrir as páginas, mas pesa mais que todos os outros em memória. Quanto ao Opera, observamos todas as melhores características apresentadas nos outros programas, sem maiores inovações.

As novas versões e correções para os navegadores continuam saindo a cada momento, em uma tentativa de aprimorar as qualidades e diminuir os problemas que eventualmente possam acontecer na navegação. Confira todos os principais aspectos dos melhores navegadores da atualidade e escolha aquele que melhor atende às suas expectativas!




Fonte: http://conhecendoseumicro.blogspot.com/ ... ernet.html
 
muito boa as dicas sobre navegadores adoreiii