•  
     

A DISCIPLINA AUXILIA NO EMAGRECIMENTO

Começar uma dieta é sempre difícil, já que a comida está ligada ao prazer imediato. Uma simples barrinha de chocolate pode aliviar aquela ansiedade ou mesmo tapear a fome fora de hora e colocar tudo a perder. Mas, para levar adiante a idéia de emagrecer, será preciso muitas vezes identificar sentimentos e atitudes erradas, que fazem você atacar a geladeira só para compensá-los. Saiba que mudar os pensamentos, ter um objetivo certo e manter a disciplina durante o processo de emagrecimento, são os melhores caminhos para alcançar o sucesso.
Fonte:http://www.xenicare.com.br/pc/obesidade/xenicare/
web/de_bem_com_voce/dbcv_disciplina.asp

O primeiro passo é programar a dieta adequadamente. Pense que fazer o corpo voltar ao peso desejado exigirá tempo, pois você não engordou de um dia para o outro. Comemore cada quilo eliminado como uma vitória e não desista. Reconheça as limitações da sua composição física e não se compare a ninguém. “O obeso tem maior resistência em seguir uma dieta. É muito ansioso, quer resultados rápidos. Faz uma redução calórica muito grande e o organismo não acompanha. O que acaba acontecendo é a pessoa querer compensar isso de alguma forma e, geralmente, com a comida”, explica Maria Cláudia Casagrande Zanette, nutricionista coordenadora do projeto Emagreça Comendo.

De acordo com Arthur Kaufman, psiquiatra e coordenador do Projeto de Atendimento ao Obeso (Prato), do Instituo de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, o que impede a pessoa de fazer dieta é a questão da renúncia. “Sempre teremos que abrir mão das coisas gostosas, como bolos, tortas, doces, sorvetes, nunca do jiló ou escarola”, conta. Isto acontece porque a principal diversão para muitas pessoas é comer. “Grande parte dos programas sociais e afetivos é sair para comer. A troca de afeto é via comida”, revela Kaufman.
Chegar ao peso ideal só depende de você e do esforço que fizer para manter a disciplina durante o emagrecimento. “Responsabilizar-se é a palavra chave. Você é responsável pelo seu corpo, pelas suas escolhas, pela sua vida. Aquela desculpa de que a mãe sempre o premiou com comida e isso virou hábito pode até ser verdade, mas a partir de agora a responsabilidade de premiar-se é sua. Portanto, eleja outros prêmios para você mesmo”, sugere a psicóloga Andréa Levy.

Segundo Andréa, um gordinho que começa a emagrecer vai entrar em contato com a angústia em algum momento da dieta e é importante usar esses momentos pra pensar. “O vazio que antes era preenchido pela comida faz a pessoa pensar. Aproveite este tempo para entrar em contato com você mesmo e use isso a seu favor”, orienta a psicóloga.

Sem conhecer os motivos que levaram a pessoa a engordar, muitas vezes fica difícil conseguir emagrecer. É importante saber identificar qual é o sentimento que faz com que você tente anestesiar com a comida, como frustrações, alegrias, estímulos (positivos e negativos), oscilações de humor, ansiedade. Quem já fez várias dietas tem medo de viver mais uma tentativa fracassada. Isso mexe com a auto-estima e atrapalha alcançar as metas estabelecidas. “O obeso elege como o único prazer comer e como o único objetivo emagrecer. Não dá para fazer as duas coisas ao mesmo tempo”, ressalta Kaufman.

Disciplina hoje e sempre

Quando iniciar uma dieta, não pense apenas em perder peso, mas em emagrecer de verdade. “Regime é aquele que é feito para a pessoa caber no biquíni, em um vestido de festa. A dieta é permanente e associa atividade física”, compara Kaufman. “O emagrecimento é um processo contínuo e prolongado, com reeducação da mente e da alimentação”, completa Maria Cláudia.
Eliminar os quilos adquiridos durante anos pode levar de seis meses a um ano. Por isso, é muito importante controlar a ansiedade de emagrecer muito rápido. “O tratamento é multidisciplinar. Não basta só comer menos para acabar os problemas”, revela Kaufman. “Muita gente que já passou por cirurgia de redução de estômago, por exemplo, ainda pensa como gordo, devora latas de leite condensado e acaba ficando viciado”, conta.
Uma dieta balanceada é sempre melhor tolerada do que as dietas que proíbem determinados tipos de alimentos. “Para emagrecer não é preciso deixar de comer, apenas restringir algumas coisas ou as quantidades. O ideal é reduzir aos poucos, com dietas menos restritivas. Assim o organismo se acostuma melhor”, orienta Maria Cláudia. A psicóloga conta que muitos transtornos alimentares começam com uma dieta restritiva na infância ou adolescência. “Se cuidar um pouquinho e ficar atento ao que ingere, pode ser uma forma de tratar o próprio corpo com carinho” sugere Andréa.

Não é preciso privar-se das coisas boas da vida, que proporcionam prazer e bem-estar. “Você pode sair com os amigos, dançar e até saborear uma comida gostosa, mas sem empanturrar-se”, sugere Andréa. “A partir do momento em que comer é o único prazer, fica complicado manter o peso estável e freqüentemente a comida vai funcionar como alívio para situações difíceis”, diz a psicóloga.

O ideal é comer nas horas certas e de maneira moderada. Não precisa esperar a fome chegar. “Um tempo muito prolongado entre uma refeição e outra faz aumentar muito a fome e você acaba consumindo mais do que precisava. Assim, fica desestimulada logo”, analisa Maria Cláudia. Procure comer devagar, já que o organismo leva de 15 a 20 minutos para avisar o cérebro de que está saciado. “Mastigando lentamente a sensação de saciedade ocorre antes que você consuma uma grande quantidade de alimentos”, completa a nutricionista.

Também importante é tentar comer consciente e avaliar, por exemplo, se o doce que você quer comer agora não é para preencher algo que não consegue identificar no momento? “Se houver dúvida, pare para pensar e tire a guloseima da sua frente, para que o estímulo diminua”, orienta Andréa. Procure sempre outros prazeres além da comida. Descubra novas atividades, resgate atividades prazerosas que você deixou de lado por algum motivo. “Estar com amigos pode ser muito mais confortante que comer uma caixa de bombons”, compara.

Se cometer um deslize, perdoe-se e comece de novo. Não vai ser uma falha que vai estragar toda a sua dieta. “Renove seu fôlego a cada dia, mesmo que no dia anterior você tenha seguido a dieta com perfeição”, aconselha Andréa. “Lembre-se de que não adianta culpar outra pessoa por você ter deixado a dieta. Você sempre tem a opção de largar ou seguir em frente e essa escolha será sempre sua, por mais que existam tentações por perto. Responsabilize-se pelas suas metas!”, finaliza.

Acredite que alcançará os objetivos

“Iniciar uma dieta já imaginando que no final não irá adiantar de nada, é o mesmo que se preparar para uma competição e saber que não vai ganhar. Acredite em você e não dispense ajuda profissional se achar necessário. Um médico, psicólogo ou nutricionista podem ser muito importantes neste momento. Trate e entenda as causas que fizeram esse excesso de gordura “aparecer” no seu corpo”, orienta a psicóloga Andréa.

“Não existem fórmulas prontas para reverter as atitudes e o modo de pensar. O autoconhecimento é o começo de tudo. É preciso se preocupar mais com a saúde física e mental. Melhorar a vida afetiva, cultural, arrumar a vida pessoal”, completa Kaufman.

O estilo de vida é individual e é preciso levar vários fatores em consideração na hora de começar uma dieta. “Analiso se a pessoa trabalha ou fica em casa, se tem ou não tempo de cozinhar e faço o plano de reeducação alimentar de acordo com as preferências”, explica Maria Cláudia.

Evite também ficar mais de quatro horas sem ingerir alguma coisa. Pode ser uma fruta, uma barrinha de cereais ou um suco, mas isso vai te ajudar a segurar a fome até a próxima refeição se o intervalo for muito longo.

Fonte: http://rumoaos54.wordpress.com/materias-interessantes/