•  
     

A coisa ta preta pro Bruno



O perito alagoano George Sanguinetti esteve, nesta terça-feira (7), no sítio de Bruno, em Esmeraldas, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo Sanguinetti, ele recolheu fios de cabelos e amostras de sangue humano. O perito foi contratado pelo advogado Zanone Manoel de Oliveira Júnior, que defende Marcos Aparecido dos Santos, Bola, réu do desaparecimento e assassinato de Eliza Samudio, para fazer uma perícia paralela.
saiba mais

*
Termina audiência sobre sequestro de Eliza Samudio no Rio
*
Vestígios de sangue são encontrados em sítio de Bruno, diz polícia
*
Polícia recolhe fraldas e roupas queimadas no sítio de Bruno
*
Sangue em sítio de Bruno não é de Eliza, diz polícia

Segundo o perito, foram encontrados no quarto que Eliza teria ficado manchas de sangue, fios de cabelo em uma escova e um pedaço de pele que seria de uma ferida. Durante a perícia, foi utilizado luz forense, objeto que detecta a presença de sangue.

Em agosto peritos da Polícia Civil estiveram no sítio e recolheram o mesmo tipo de material. O sangue encontrado em um colchão era de uma mulher, mas não de Eliza Samudio, segundo a polícia.

Ainda de acordo com Sanguinetti, todo o material recolhido no sítio vai ser levado para o laboratório da Universidade Federal de Minas Gerais para análise. O próximo passo, segundo o perito, será a análise do carro que foi utilizado para trazer Eliza Samudio do Rio de Janeiro para Belo Horizonte.

Entenda o caso
O goleiro Bruno e Macarrão também são réus no processo que investiga a morte de Eliza Samudio. A Justiça de Minas Gerais aceitou a denúncia do Ministério Público contra Bruno e outros oito envolvidos no desaparecimento e morte de Eliza. Fernanda Gomes de Castro, namorada de Bruno, foi presa em Minas Gerais.

O goleiro Bruno; Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão; Sérgio Rosa Sales; Dayanne Souza; Elenilson Vítor da Silva; Flávio Caetano; Wemerson Marques; e Fernanda Gomes de Castro vão responder na Justiça por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado, ocultação de cadáver e corrupção de menor. Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, é o único que responderá por dois crimes. Bola foi denunciado por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Todos os acusados negam o crime. As penas podem ultrapassar 30 anos.

A pedido do Ministério Público, a Justiça decretou a prisão preventiva de todos os acusados. Com essa medida, eles devem permanecer na cadeia até o fim do julgamento.

Em 2009, Eliza teve um relacionamento com o goleiro Bruno, engravidou e afirmou que o pai de seu filho é o atleta. O bebê nasceu no início de 2010 e, agora, está com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

A polícia mineira começou a investigar o sumiço de Eliza em 24 de junho, depois de receber denúncias de que uma mulher foi agredida e morta perto do sítio de Bruno. A jovem falou pela última vez com parentes e amigas no início de junho.

O corpo de Eliza não foi encontrado. Mas os delegados consideram a jovem morta. Todos negam envolvimento no caso.